Solar

Solar

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

JHONATA ALMEIDA: "Pensando Alto"

Buenas!

No “Pensando Alto” de hoje, uma lembrança dolorida sobre o fatídico acidente do dia 29 de novembro de 2016, com o avião da Chapecoense. Porém, o assunto principal não são as causas da tragédia, os culpados ou as consequências. Proponho-me a escrever sobre um fator que se viu durante as homenagens e em relação à mobilização geral: o cuidado, o zelo, o altruísmo e o respeito dos colombianos. Vi e ouvi muitas pessoas dizendo que se tornaram fãs do Futebol da Colômbia depois do ocorrido, que passariam a torcer para o Atlético Nacional e principalmente para a Seleção Colombiana de Futebol. Assim, me sinto na "obrigação" de compartilhar minha antiga paixão por essa equipe, que depois do Internacional e da Seleção Brasileira é a minha preferida na história do Futebol mundial. Não conheço Bogotá, Medellín, Cali ou Barranquilla, mas conheço bem o Futebol de lá...
Minha paixão pelo futebol colombiano começou quando eu tinha 8 anos, na Copa do Mundo de 1994, disputada nos EUA (minha paixão por essa Copa é outra história, ehhehe...)... Naquela ocasião, a Colômbia chegou ao Mundial credenciada como uma das favoritas ao título, principalmente depois de ter goleado a Argentina em pleno Monumental de Nuñez por 5 a 0... Porém, minha querida seleção foi eliminada na primeira fase ficando em último lugar no Grupo "A", atrás de Romênia, Suíça e EUA (os americanos perderam para o Brasil na fase seguinte em pleno dia da independência deles, por um a zero, gol de Bebeto com passe de Romário - o gol "eu te amo"); depois disso, o zagueiro colombiano Escobar foi assassinado por membros do Cartel de Medellin, por ter feito um gol-contra na partida contra os EUA, um dos episódios mais tristes da história do Futebol... Falando de Escobar, passo a lembrar de muitos jogadores que vi e admirei de lá pra cá... Na zaga, antes de ver Zapata e Murillo, eu vi o recém-citado Escobar... Vi Ivan Cordoba... Vi Bermudez... Vi Perea... Vi surgir Yepes... Assim como antes do afamado Zuñiga na lateral-direita, eu vi Herrera e Palacios... Antes do folclórico Armero na esquerda, eu vi Pérez... Vi Bedoya... Os volantes hoje são Valencia e Sanchez, mas eu acompanho desde a época de Alvarez e sua calma... Lozano...Serna... No meio-campo, onde hoje brilham Cuadrado e o fantástico James Rodriguez, eu vi Rincón... Vi Valderrama (o melhor jogador colombiano pra mim, até hoje... Inclusive aqui, revelo algo que poucos sabem: foi vendo Valderrama que me inspirei pra usar pulseiras coloridas, eheheheh...)... tempos depois, vi Morantes, Grisales, Oviedo, Elkin Soto e vários outros... Na frente, onde hoje estão Teo Gutierrez, Martinez e o grande jogador Falcão Garcia, eu vi Faustino Asprilla... Vi Aristizábal... Vi Angel... Vi Montaño e Preciado... e no gol? Ahhhhhhhh.... Onde hoje está o ótimo Ospina, eu vi Higuita e seu "Scorpion Kick" (contra a Inglaterra, em pleno Wembley...)... Vi Oscar Cordoba... Vi Mondragon.. Vi o saudoso Calero... e Assim como hoje está Pekerman no comando, eu comecei a acompanhar essa trajetória na época de Francisco Maturana... A Colômbia tem hoje uma seleção extremamente qualificada, que chega a fazer frente à antiga, do início dos anos 90... Sempre torci, torço e torcerei para a Colômbia, e não escondi uma pontinha de tristeza quando nós os enfrentamos nas quartas-de-final da Copa passada...
Força, Chape! "Fuerza, Colombia!"
OBS. 1: Saudade de meu álbum de figurinhas de 1994...
OBS. 2: Por alguns momentos fiquei muito triste enquanto escrevia, lembrando das histórias do acidente da Chapecoense...
Jhou Batera //

Cabeludo
Jhonata Almeida

Nenhum comentário: