Solar

Solar

sábado, 18 de março de 2017

Precisamos acordar para a questão política em Santiago

O papel da imprensa é de informar, denunciar e levar para debates assuntos de interesses da sociedade como um todo, sem lado partidário ou ideologias políticas, mas sim, questionar o que está errado ou fomentar o que está sendo feito em benefício da comunidade.

Todos sabem do meu apoio à candidatura do atual prefeito Tiago, e a que me levou a tal apoio, inclusive tem registro no blog o motivo de meu apoio, mas não sou partidário e nem comprometido com a atual administração, sou livre em minhas posições, sei que com isto pago um preço alto, pois assim é que funciona o sistema político em Santiago, mas não importo com isso, sigo meu trabalho e buscando meu espaço como Deus determina, sempre fui ignorado como blogueiro e cidadão neste meio, claro, salvo poucos nomes que podemos dizer, este é diferente.

A questão da reforma tributária em nosso município, abordada por Júlio Prates em seu blog, tanto o PP como a oposição deixaram de apresentar tal situação em seus planos de governo nas eleições, sabemos da importância dessas reformas, mas o assunto parece ser debatido somente entre paredes do executivo e do legislativo, ainda distante da comunidade.

Na questão cultura, ainda estamos longe de atingirmos o potencial satisfatório, em debate no legislativo se fala muito em cultura, vários vereadores levantam esta bandeira, alguns foram eleitos por esta expectativa. O assunto em pauta nesse sentido é o retorno dos festivais para Santiago, uns defendem que a iniciativa privada organize e financie o festival e de outro lado, os que defendem que o executivo e o legislativo financiem o projeto. Para que você leitor entenda este empasse, os que defendem que o festival seja financiado através de edital pela iniciativa privada, alegam que os cofres públicos não tem dinheiro para financiar o projeto, segundo eles vai custar R$ 172 mil, de outro lado os que apoiam que os cofres públicos financiem o festival alegam que tem verbas sim, tanto é que sobrou 300 mil no legislativo que foi repassado ao executivo no ano anterior. Agora 172 mil para organizar um festival, acredito ser um valor muito elevado, precisamos ver bem esta questão...

Outro fato em relação a cultura é a do Acampamento Farroupilha, que este blogueiro vem a anos reivindicando apoio, inclusive pedindo apoio para alguns vereadores e nem ao menos vejo um debate na tribuna em relação ao assunto, não vejo interesse algum em relação a este projeto, caro leitor, este projeto custa praticamente nada aos cofres públicos, mas pode significar muito para a nossa cultura, tradicionalismo, turismo e para o comercio local.

Para finalizar quero relembrar nosso leitor, que uma das bandeiras tanto do PP, como da oposição foi a geração de empregos, já se passaram mais de três meses e ainda não vimos nada que aponte para este problema, ao menos início de um projeto para amenizar o desemprego em nosso município.


Egos e vaidades não caminham a favor do povo, mas sim aos interesses de poucos, precisamos acordar e cobrar o que de fato precisa ser feito, sem muitas demoras ou enrolações, por que os deveres do cidadão que contribuem tem prazo definido, na esfera política acredito que se deve ser da mesma forma, a nossa comunidade anseia por mudanças, principalmente no que se refere à frente de trabalho, assunto que já deveria estar em pauta a todo vapor no legislativo e no executivo, a busca de empresas que queiram se instalar em Santiago, é só criar um projeto de incentivo fiscal atrativo, acredito ser este um dos caminhos para este problema, já está mais que na hora de dar deste ponta pé inicial.....

Nenhum comentário: