Solar

Solar

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Vigilância investiga suspeita de surto de virose em Santa Maria

A Vigilância de Saúde, através da Vigilância Epidemiológica de Santa Maria, vai investigar a suspeita de um surto de virose na cidade. Desde sexta-feira, centenas de pessoas que procuraram o Pronto-Socorro do Hospital de Caridade Astrogildo de Azevedo, a Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) e o Pronto-Atendimento do Patronato apresentaram vômito e diarreia, sintomas que podem indicar gastroenterite viral. 

No Caridade, 80 funcionários também apresentaram sintomas e 62 deles foram afastados do trabalho no final de semana. Além disso, segundo a médica Isabel Castro Lotti, responsável pela Medicina do Trabalho do hospital, dos 190 pacientes atendidos no Pronto Socorro durante o feriado de Finados, pelo menos um terço deles – cerca de 60 pessoas – apresentaram o quadro característico. 

– Pelos sintomas apresentados até agora, a principal suspeita é uma gastroenterite por vírus. O que nos chamou atenção é o número grande de ocorrências. Estamos aguardando os resultados dos exames para ter certeza do que se trata, mas há uma grande possibilidade de que a virose não tenha se originado no nosso ambiente hospitalar – explica Isabel. 

De certa forma, o surto de ocorrências colocou em alerta a instituição. Conforme a diretora executiva do Caridade, Ângela Maria Perin, além dos exames laboratoriais para averiguar a causa da doença, foram recolhidas amostras da água servida na instituição. Como medida de prevenção, o hospital interditou os bebedouros e orientou que a cozinha utilizasse somente água fervida. As dietas dos pacientes estão sendo todas cozidas. 
De acordo com o familiar de um paciente que está internado no Caridade, que preferiu não se identificar, os médicos orientaram a levar galões de água para evitar uma possível contaminação ou agravamento do caso. Os resultados das análises da água devem ficar prontos em 48 horas. Até lá, os bebedouros permanecem interditados. Até o momento, não foi solicitada a restrição de visitas aos pacientes internados. 

Segundo a superintendente da Vigilância em Saúde de Santa Maria, Selena Michels, o órgão já tomou conhecimento dos casos e está investigando as possíveis causas do surto.

Médicos e funcionários do UPA também apresentaram sintomas

Na Unidade de Pronto-Atendimento Municipal (UPA), que fica ao lado da Casa de Saúde, de 30 a 40% dos pacientes que procuraram a unidade durante o feriadão de Finados apresentaram diarreia, vômito, mal-estar, dor abdominal e no corpo, segundo o administrador Rogério Carvalho. Na terça-feira, o quadro atingia também alguns funcionários e, inclusive, médicos. O número de atendimentos com suspeita de virose aumentou significativamente desde o final de semana. 

No Pronto-Atendimento Municipal do Patronato, cerca de 80% dos pacientes que foram atendidos entre a noite se segunda-feira e a manhã de terça-feira apresentaram os sintomas da virose, com diarreia e vômito. 

Conforme a assessoria do Hospital Universitário de Santa Maria (Husm), nenhum paciente ou funcionário apresentou os sintomas.

A orientação geral dos médicos é que as pessoas higienizem adequadamente as mãos para evitar a contaminação e, caso já apresentem alguns sintomas, tomem água com mais frequência, para evitar a desidratação.

SINTOMAS E PREVENÇÃO
– A gastroenterite viral pode ser provocada por vários vírus diferentes e acomete pessoas de todas idades, sexo, etnia e condição econômica. Seus principais sintomas são diarreia aquosa, cólicas, vômitos, dores no corpo e mal estar
– Na maioria dos casos, a transmissão é feita pelo contato próximo, principalmente por mãos contaminadas pelo vírus. Fezes e vômitos dos pacientes contaminados possuem elevadas cargas de vírus. Se uma higiene adequada das mãos não for feita, o paciente pode contaminar roupas e objetos, facilitando a dispersão do vírus
– Alimentos preparados por pessoas doentes (principalmente se crus ou mal cozidos) ou águas contaminadas com fezes também são vias comuns de transmissão
– A higienização adequada das mãos ajuda na prevenção da virose
– Se você já apresenta algum dos sintomas, beba bastante água. Isso ajuda a evitar uma possível desidratação
– Não existe tratamento ou remédio específico para a gastroenterite viral. O que se faz é o combate dos sintomas. Qualquer unidade ou posto de saúde está apto ao atendimento de casos de virose
Fonte:Diário de Santa Maria

Nenhum comentário: