Mercado Melo

Mercado Melo

sexta-feira, 28 de abril de 2017

Jhonata Almeida: "Pensando Alto"

Buenas!
No “Pensando Alto” de hoje, a primeira parte do relato sobre como obtive meu primeiro prêmio de Truco de 2017...

E o primeiro prêmio de 2017 veio de mano... O 36º do currículo!
Nesse que foi o segundo maior torneio de mano de São Luiz Gonzaga com 33 participantes (o maior deu 48 e eu FUI CAMPEÃO INVICTO), obtive um terceiro lugar muito especial, e que pra mim teve gosto de primeiro. Por quê? Porque tive que fazer "magia" pra premiar: várias vezes joguei "contra o baralho".
Além disso, a história por trás do torneio também foi especial: muitas vezes as pessoas não sabem o que passa um jogador profissional pra poder participar dos eventos. Depois de uma noite em que nem dormi, levantei cansadíssimo às 5h30min (não vou dizer que madruguei porque não preguei o olho) e fui para a rodoviária para pegar o ônibus às 6h30min...Mas estava chovendo. Optei por não levar sacola nem guarda-chuva e cheguei de madrugada na estação já com o primeiro banho de chuva do dia. Peguei o ônibus e tentei dormir, em vão; em dias de torneio, a concentração fala mais alto do que o sono...Sempre foi assim e espero que continue sendo. Chego em São Luiz por volta de 8h30min, sento em uma das poltronas da rodoviária e penso em "definir meu destino": vou pra casa de um dos grandes amigos que lá tenho, o Tonhão. Porém, são várias quadras até lá e a chuva estava apertando...E o Jhonata toma o segundo banho do dia, caminhando de cabeça baixa contra a chuva fina e fria. Mates, conversas, histórias, almoço e mais uma tentativa de dormir, novamente frustrada. Logo depois, meu amigo Viana me dá uma carona até o clube, onde junto com ele arrumo as coisas para esperar os jogadores: baralho, tentos, globo, mesas e cadeiras. Pra encurtar o relato (já longo), começa o torneio e caio contra um rapaz chamado João, de Santo Antônio das Missões. Depois de um primeiro set em que menti muito, venço por 24 a 22 cantando uma flor pra sair (26 de espadas). No segundo set, o rapaz decide me "pescar" com 31 na única vez em que peguei 33...E aí, já viu: 24 a 10. Começo bem o torneio num confronto que provavelmente se eu não fizesse as leituras corretas teria dado "negra". Segunda rodada e caio contra meu querido amigo Viana, que também vencera a primeira rodada: primeiro set parelho até o sexto tento, quando abro 13 a 6; há 3 dadas de carta sem tentear, o Viana me põe uma falta de 11 tentos, de mão. Levanto 28 de bastos, e leio o fato de que ele quer "sair" dos 6. Dou, e ganho. Segundo set parelho até perto do fim e venço por 24 a 18.

No próximo “Pensando Alto”, a segunda parte da história!
Cabeludo
Jhou Batera //

Jhonata Almeida

quinta-feira, 27 de abril de 2017

Confira as ofertas da Cia das Frutas para este final de semana


Os manifestantes se reúnem na Esquina Democrática em Santiago nesta sexta-feira




Em Santiago, a mobilização será na esquina democrática, a partir da uma e meia da tarde, incluindo pronunciamentos e  informações à população em geral sobre o evento. Como forma de apoiar o movimento,  os servidores municipais foram serão liberados no período da tarde, com isso  não haverá expediente na prefeitura.

O   protesto é  contra as reformas trabalhista e da Previdência que tramitam na Câmara dos Deputados que podem ser votadas nas próximas semanas. A greve geral  é organizada pela Central Única dos Trabalhadores (CUT).

Receita da Culinária Gaúcha da Semana


Ensopado de mandioca

INGREDIENTES
300 gr de carne de porco sem gordura.
200 gr de carne de gado
500 gr de osso de gado
meia xícar de óleo
2 tomates
1 cebola
3 kg de mandioca
2 caldo de carne
1 cenoura
1 lata de ervilha
2 colher de sopa de extrato de tomate
sal a gosto
salsa, cebolinha verde.
MODO DE PREPARO
Pique a carne de gado e de porco em pequenos pedaços, frite até dourar bem, acrescente os ossos e deixe dourar mais um pouco, coloque a cebola picada. Tire toda a gordura, onde foi fritada a carne. junte os tomates descascados e sem pele picados, mais o molho de tomate, a cenoura cortada fina, os caldos de carne, a ervilha, e aproximadamente 4 litros de água. acrescente sal a gosto e deixe ferver por meia hora. descasque a mandioca e pique em pedaços bem pequenos, depois junte na panela com os outros ingredientes e deixe até a mandioca amolecer. Se for necessário acrescente mais água. 

Governador Sartori anuncia mudanças no secretariado do RS


O governador José Ivo Sartori anunciou na manhã desta quinta-feira os novos nomes do secretariado do governo do Rio Grande do Sul. Entre os novos integrantes do primeiro escalão estão Ronald Krummenauer, que assume a pasta da Educação, Maria Helena Sartori, que será encarregada do Desenvolvimento Social e Artur Lemos, que será responsável pela secretaria de Minas e Energia. E aceitando um convite pessoal do governador, Otomar Vivian assume a presidência do Instituto de Previdência do Rio Grande do Sul (IPE).

Na secretaria da Segurança Pública, foram anunciados nomes do coronel Everton Oltramari como secretário adjunto, Ana Beatriz Barrios como diretora-geral e a delegada da Polícia Civil, Luciana Bertoleti, como nova chefe de gabinete da pasta.  Segundo o governador, todos já trabalhavam como consultores na Secretária de Segurança junto com Cezar Schirmer. "Temos alguns dados e elementos bem presentes do avanço que tivemos nos últimos meses no Rio Grande do Sul, mas precisamos de mais", disse.

Durante a solenidade que ocorreu no Palácio do Piratini, Sartori reforçou que as mudanças no secretariado ocorrem para dar continuidade na caminhada iniciada em janeiro de 2015. "Desde primeiro dia de governo procuramos ser verdadeiros e transparentes para demonstrar claramente a realidade financeira do Estado. A mudança faz parte de uma jornada. Só não muda quem não se relaciona com o mundo", disse. "Vamos fazer o que precisa ser feito e cuidar dos que mais precisam", acrescentou.

O governador disse que espera superar a crise e os desafios que o Estado enfrenta. "Mudaram as peças, mas os objetivos continuam os mesmos. Todos  gostamos do Rio Grande do Sul e temos fé no povo gaúcho. Liderar não é um ato individual, não é pessoal, ele é coletivo. Liderar é promover mudanças", concluiu. 

Confira os novos secretários do Governo do Rio Grande do Sul

• Fábio Branco - Chefe da Casa Civil

• Coronel Alexandre Martins - Chefe da Casa Militar

• Artur Lemos Júnior - Secretário de Minas e Energia

• Márcio Biolchi - Secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciências e Tecnologia

• Evendro Fontana - Secretário Adjunto de Desenvolvimento Econômico, Ciências e Tecnologia

• Maria Helena Sartori - Secretária do Desenvolvimento Social, Trabalho, Justiça e Direitos Humanos

• Ronald Krummenauer - Secretário da Educação

• Fabiano Pereira - Secretário de Obras, Saneamento e Habitação

• Everton Oltramari - Secretário Adjunto da Segurança Pública

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Vander Santos: Terceirização, mitos e verdades

Resta evidente que nosso País passa por momento delicado no cenário político, social e econômico, sendo tomadas decisões de suma relevância à sociedade.

Foi aprovado pelo Congresso o projeto da terceirização e sancionado pelo Presidente da República e publicado em 31.03.2017 entrando em vigência na mesma data da publicação, Lei n°: 13.429/2017, gerando inúmeras discussões a despeito, havendo especialistas que defendem sustentando benefícios advindos, bem como há outros contrários.

Porém julgo oportuno fazer alguns esclarecimentos breves sobre o tema da terceirização.

De fato antes a terceirização era permitida pelo Direito do Trabalho de atividade meio, ou seja, por exemplo uma escola poderia ter funcionários da limpeza, zelador e guardas contratados por meio de uma empresa terceirizada, porém não poderia ser terceirizado a atividade fim, como a atividade de professor, bem como antes a empresa contratante, ou seja, a empresa que contrata a terceirizada, prestadora de serviços respondia solidariamente no caso de inadimplemento de débitos trabalhistas pela empresa prestadora de serviços contratada.

Um mito que anda vertente, ou seja, correndo pela sociedade de que houve perdas de direitos trabalhistas e a Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS) não seria obrigatório assinatura e etc...

Bem Senhores, vos digo que nada mais é do que uma farsa tais afirmações e boatos que andam por ai, razão pela qual pretendo explicar.

Com advento da referida Lei que regulamentou pontos sobre a terceirização houve flexibilização de direitos, permitindo a prestação de serviços terceirizados que pode uma empresa contratar uma outra empresa terceirizada para prestar serviços de atividade meio e fim, ou seja, como naquele exemplo que coloquei anteriormente da escola poderá contratar não somente funcionários como zelador e guardas (atividade meio), mas também professor (atividade fim).

A empresa contratada terceirizada deverá assinar a Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS) do trabalhador, ora seu empregado, registrando o Contrato de Trabalho, bem como pagar todos os direitos trabalhistas que o trabalhador faz jus de acordo com Legislação vigente.

Cumpre aferir que os Direitos Trabalhistas foram em tese preservados, não mexeram nos mesmos, porém existem pontos de ambiguidade, ou seja, de margem deixada pela flexibilização a beneficiar o empregador.

Uma das mudanças é que a responsabilidade da empresa que contratou a terceirizada passou a ser subsidiariamente e não solidariamente como antes. Isso significa que uma vez eu trabalhador acionando a empresa terceirizada que tinha vínculo empregatício, em razão de débitos trabalhistas pendentes, e ela não tiver como pagar tais direitos, ai sim poderá e deverá ser chamada a baila para pagamento a empresa contratante, ora chamada de tomadora de serviços.

De outra banda, o que isso gera de forma indireta é a possibilidade de diminuição de salários e consequente remuneração, porque a empresa prestadora de serviços terceirizada ganha pelo serviço prestado e automaticamente isso acaba afetando o trabalhador que tem seus rendimentos diminuídos ao passo que a empresa terceirizada ganha seus lucros encima dos valores pagos pela tomadora de serviços e desse mesmo valor sai o pagamento do trabalhador.

Em suma podemos aferir também, que criou-se um meio legal de tentativa de burlar a legislação trabalhista ora vigente, o que deve ter total atenção por todos os juristas, juízes, procuradores e advogados e também pela sociedade.
É de se esclarecer que qualquer meio de que vise ludibriar e fraudar direitos trabalhistas deve ser rechaçado pelo Judiciário ao passo ser considerado nulo pela legislação trabalhista (laboral), logo, o entendimento de especialistas que tem predominado e no sentido de que segue vedado a possibilidade da chamada “pejotização”, ou seja, de empresa prestadora de serviços terceirizada contratar pessoa que tenha empresa aberta com CNPJ para prestar o serviços a tomadora de serviços havendo todas as características e requisitos do vínculo de emprego, pois logico, seria uma violação e fraude a direitos trabalhistas, como por exemplo um professor que abre uma empresa para firmar contrato com outra empresa terceirizada prestadora de serviços a uma escola, tomadora de serviços, para dar aulas. Isso é vedado, pois estaria fraudando direitos trabalhistas, sendo nulo de pleno direito de acordo com lei vigente.

O contrato de trabalhador temporário passou de três (03) meses para seis (06) meses, podendo ser prorrogado por mais noventa (90) dias, chegando a um total de 270 dias. Há previsão de que poderá ser tais prazos alterados por força de convenção ou acordo coletivo de trabalho. O que é tema para outra possível futura coluna. O que gera dai certos prejuízos ao trabalhador, pois o prazo aumenta do trabalho temporário em razão de que durante esse período existem alguns direitos que não são abarcados e abrangidos, como quando o contrato é por prazo indeterminado, que é o padrão normal e mais comum dos contratos de trabalho. Deixo claro que o contrato de trabalhador temporário é diferente de contrato de trabalho por prazo determinado, eis que a primeira trata-se de um contrato feita com por empresa interposta, sendo regido pela Lei 6.019/74, explicando seria “aquele prestado por pessoa física contratada por uma empresa de trabalho temporário que a coloca à disposição de uma empresa tomadora de serviços, para atender à necessidade de substituição transitória de pessoal permanente ou à demanda complementar de serviços” (art.2° da mencionada Lei) sendo que essa empresa de prestação de serviços de trabalho temporário deve ter a Pessoa Jurídica cadastrada e registrada perante o Ministério do Trabalho e Emprego. Já a segunda trata-se como por exemplo do contrato de experiência, quando se inicia normalmente um trabalho em um novo emprego. Portanto, não confundam as mudanças de prazos, pois é referente ao contrato de trabalhador temporário e não como o de experiência por exemplo.


Obviamente, verifica-se que nem tudo que falaram por ai, sobre a terceirização corresponde a realidade, sendo que há benefícios e malefícios, cabendo a sociedade, ou seja, ao Senhores Cidadãos fazerem também a sua parte, abrirem os olhos, vigiarem e explanarem sua opinião e não ficarem quietos sobre mudanças que estão advindos que podem sim ter cunho, mesmo que indiretamente, prejudicial ao cidadão trabalhador. Que isso sirva de alerta para sociedade que deve verificar, buscar saber a verdade sobre os fatos de nosso País, pois a reforma previdenciária vem ai, bem como a trabalhista. Vamos nos posicionar, sendo um dever nosso quanto cidadão brasileiro que possuem direitos e deveres e se necessário for iremos às ruas demonstrar indignação, pois o povo, só o povo mesmo que possua culpa, não é justo pagar a conta sozinho como sempre. Pois uma vez aprovada tais mudanças com o povo inerte, ou seja, depois não adianta esbravejar e achar culpados. A hora é agora, vamos nos posicionar como cidadãos que somos.