Solar

Solar

segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Progressistas santiaguenses, renovação foi a marca da conquista


No início da campanha eleitoral, manifestei minha opinião da capacidade que o PP santiaguense tem da renovação, o partido mesmo no poder soube ser a renovação e convenceu o eleitor quanto a isso, já por outro lado, a oposição que se apresentou como renovação e não conseguiu passar este conceito. Quanto as lideranças e alguns nomes importantes que eram contra a candidatura do Tiago, preferiram não apoia-lo e pediram afastamento do partido, no meu entendimento somente fortaleceram o PP, não enfraquecendo como se cogitava, deu mais vida, entusiasmo a chapa proposta por Júlio Ruivo, fez com que o empenho a provar que o Tiago e Cardoso eram os nomes certos para enfrentar Guilherme e suas coligações, digamos de passagem, Ruivo estava corretíssimo, uma bela estratégica política, provou nas urnas que se pode renovar, dentro de um projeto que ele mesmo representou durante oito anos, Júlio Ruivo não só provou ser um dos maiores prefeitos da história de Santiago, mas também um estrategista político e articulador, sem dúvida hoje um dos nomes mais forte na cúpula do PP santiaguense.

Confira alguns números destas eleições, onde o crescimento do partido progressista foi fantástico, na câmara municipal vereadores eleitos pelo PP somaram 8.931 votos, os não eleitos do PP 5.390 contando os votos do Sandro Palma, única coligação do PP, totalizando uma soma de 14.321 votos para vereador pelo PP. Já a coligação oposicionista eleita para câmara somam 2.686 votos, os não eleitos da coligação somam 8.143 votos, totalizando uma soma de 10.829 votos, no PT sua votação foi drástica, péssimo resultado teve a soma no total de 1.873 votos, ficando de fora do legislativo nos próximos quatro anos. O crescimento do PP não foi só na candidatura do Tiago e Cardoso, no geral até na somatória dos votos para vereadores, fora o PT, o PP levou uma diferença da oposição de 3.492 votos na totalidade e nove cadeiras no legislativo, deixando apenas quatro cadeiras para a oposição.
Os votos em branco 972 e nulos 789.
Tiago Gorski 17.922 PP
Guilherme     10.658 PSD
Bueno              1.231 PT    

Nenhum comentário: