Solar

Solar

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

COLUNA JHONATA ALMEIDA: "Momento Musical"

Buenas!
No Momento Musical de hoje, faço referência aos gauchinhos e gauchinhas que estão se destacando na segunda edição do reality show The Voice Kids (Arthur Lima, Lucas Hernandes, Anna Lira e Luis Arthur Seidel). E, entre esses belos talentos, dois destaques pra mim:
Thomas Machado (de Estância Velha)...Como definir a importância que essa criança teve, está tendo e vai ter para a Música Gaúcha, para o tradicionalismo do Rio Grande do Sul, para a nossa musicalidade, para a nossa imagem?
Eu me criei vendo meu pai tocar baile... Sentava do lado do baterista, ficava olhando... Para mim, a Música sempre foi algo presente, desde novinho... O palco, o baile, o repertório, a gaita, a pilcha, as canções que eu ouvia e hoje canto e toco, a vida de Músico... E vendo e ouvindo o Thomas naquele palco, eu vi muito de mim... Foi emocionante... Uma criança, um ser inocente, com tanto talento e paixão pelo que carrega e com consciência sobre o lugar que vem...Ele não sabe de nada disso, mas já sabe de tudo isso... Vem de Deus, e está nele, nas mãozinhas, na gargantinha, no sotaque, em cada tecla daquela gaitinha...
Li e ouvi comentários infelizes sugerindo que ele devia tocar "algo gaúcho", ou "socar um vaneirão", coisas idiotas do gênero... Mas eu ignoro porque esses comentários sempre surgem de leigos, foram falados e escritos sem o devido conhecimento técnico...Sobre isso, posso dizer que a escolha dele foi perfeita: conseguiu executar um clássico conhecidíssimo da Música Sertaneja, composto por Nhô Pai (João Alves dos Santos) e gravado pela primeira vez em 1945 pelas Irmãs Galvão, garantindo assim que todos teriam o conhecimento suficiente da canção para avaliá-lo (e é importante ressaltar a presença marcante do sotaque gaúcho na interpretação); além disso, usou uma canção que possibilitou um arranjo tocado por ele, com a gaita, demonstrando o fator instrumental que ele queria compartilhar. Além de tudo isso, teve algo de mágico na apresentação: ESTAVA PILCHADO.

Obrigado, Thomas. Foi histórico, vai ser inesquecível. Representou milhares de Músicos gaúchos que como eu, começaram a tocar baile ainda bem novos, que carregam pelas estradas e palcos a fibra do nosso sangue farroupilha, que mostram a raça gaúcha em cada nota e em cada ritmo tocado na história da nossa Música, com garra, amor, responsabilidade...Com o nosso Rio Grande do Sul na alma, no coração, nos dedos e na voz. 
Quase me levaste às lágrimas, rapaz!
Encerro essa postagem falando da Maria Alice... Pô, aí é sacanagem comigo, né?
Gauchinha da minha cidade amada, da minha eterna e querida Santana do Livramento... Quem me conhece um pouquinho que seja sabe o amor que tenho pela minha terra e o orgulho que sinto em ser santanense... Várias vezes, quando acompanhei artistas, eu disse: "Quando for me apresentar, pode esquecer do meu nome, mas não esquece de dizer que eu sou de Santana do Livramento!"
Maria cantou a canção que projetou a carreira da Shakira, o hit "Estoy Aquí". Essa canção embalou minha pré-adolescência, foi lançada em 1996.
Meu coração disparou quando Victor e Leo viraram a cadeira nos últimos instantes, eu soltei um grito de alívio, felicidade, orgulho, torcida! Foi como se eu tivesse comemorado um gol, só que mais intenso!
Obrigado, Maria Alice, pelo nó na garganta que me proporcionaste.
Vai, continua nos representando.
Obrigado, Deus, por esses presentes.


Cabeludo
Jhou Batera //
Jhonata Almeida

Nenhum comentário: