Solar

Solar

quinta-feira, 15 de junho de 2017

A importância da reciclagem

Reciclagem é a atividade de recuperação e revalorização da matéria-prima descartada, que se transforma em um novo produto, retornando ao ciclo de produção.
O símbolo da reciclagem é formado por três setas, fazendo referência a um ciclo: a primeira seta representa a indústria, que fabrica um produto; a segunda faz menção ao consumidor, que consome este produto; a terceira seta representa o retorno do produto ao ciclo produtivo, revalorizado por meio da reciclagem.
A reciclagem é uma atividade econômica com muitos benefícios ambientais, mas para que ocorra com eficiência, é necessário que três etapas aconteçam:

Recuperação
As embalagens e resíduos que descartamos todos os dias precisam de um destino correto para que sejam tratados como matéria-prima na fabricação de novos produtos. É fundamental separar os resíduos sólidos dos orgânicos e dos sanitários. Dessa forma, os recicláveis não são contaminados e têm mais valor, viabilizando e barateando a reciclagem.
Pense um pouco: compramos, usamos e descartamos continuamente. Precisamos ter responsabilidade sobre os produtos que adquirimos e principalmente sobre o destino que damos a eles, para que retornem a esse nosso ciclo infinito de consumo.
Muitos recicladores são forçados a dispensar resíduos pós-consumo contaminados, dando preferência aos resíduos pós-industriais, porque estes não foram contaminados em um descarte incorreto, portanto aptos a ser reciclados, se transformando em um produto de qualidade.
Destinando corretamente para a coleta seletiva, todo o trabalho posterior é facilitado, pois a matéria-prima reciclável ainda precisa ser separada por tipo, por cor e por todos os critérios válidos para se manter a mais próxima possível da original. Após a triagem, os recicláveis ainda precisam ser prensados e enfardados para ocupar menos espaço e para que possam ser transportados.

Revalorização
Garrafas de plástico são moídas, voltando a ser grãos como a matéria-prima original do plástico. Papéis são triturados e misturados com água até se parecerem com pasta de celulose. Metais e vidros são derretidos, ficando prontos para fundição. A revalorização pode ser feita de muitas formas, de acordo com o material e a finalidade que se quer dar a ele.
São processos industriais, que precisam de muitas toneladas de matéria-prima para viabilizar economicamente máquinas, equipamentos e profissionais.

Transformação
Com os materiais prontos, é possível fabricar um novo produto, fechando o ciclo da reciclagem.
Então voltamos ao início
Como indivíduos, precisamos nos envolver na etapa que nos compete, que é a separação dos nossos resíduos para a coleta seletiva, procedimento fundamental para a obtenção de um produto reciclado tão bom quanto o original. Se fizermos a separação eficaz em casa, no nosso trabalho, em nossa comunidade, temos os seguintes benefícios:
– Uma quantidade menor de resíduos irá para aterros e lixões. Estes então terão seu tempo de vida aumentado;
– Resíduos descartados corretamente não contaminam o solo e as águas;
– Resíduos descartados corretamente ajudam na limpeza e higiene das cidades;
– A coleta seletiva adequada facilita o processo, barateando o custo dos reciclados;
– Reciclagem retarda a escassez de matérias-primas virgens;
– Reciclagem  economiza energia elétrica;
– Reciclagem proporciona geração de riqueza;
– Reciclagem propicia a geração de inúmeros empregos.
Convencido? Então veja agora como destinar corretamente seus resíduos para a coleta seletiva.
A reciclagem é um processo que exige pouco dos domicílios. Isso porque a coleta seletiva é apenas o princípio de um longo processo. Não é necessário separar os quatro tipos de materiais recicláveis (papel, metal, vidro e plástico), apenas resíduos recicláveis, aí você melhora a seleção acrescentando com resíduos orgânicos e lixo do banheiro. 
Todo material que chega em uma planta de reciclagem é vistoriado e separado novamente. Mesmo se dividido nas quatro categorias, quando o material chega nas fábricas de reciclagem, vai haver uma subseparação. Por exemplo, o plástico da garrafa PET é diferente da embalagem de xampu e da tampa da embalagem do creme.Como a separação será realizada durante o processo, não é essencial fazê-la em casa. “Se há possibilidade e espaço, tudo bem, separe os tipos de resíduos. Isso pode até acelerar a parte posterior do processo, mas não é fundamental. No entanto, é necessário algum tipo de limpeza. O ideal é retirar o excesso de produto dentro das embalagens. Numa caixa de leite, por exemplo, é só passar uma água, evitando que acumule muito líquido e que surjam insetos ou odores fortes.
No caso de papel oleoso ou sujo, é importante fazer a distinção entre o que é reciclável e o que não é. Guardanapo, papel-toalha e papel higiênico não são reutilizáveis, porque a fibra desses produtos é muito pobre e se decompõe facilmente. Sem contar que se forem usados… Já o papelão ainda pode ser reciclado, mesmo com alguma mancha de gordura.

Nenhum comentário: