Solar

Solar

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Frio causa impacto positivo e negativo em produções agrícolas no Rio Grande do Sul

Enquanto safras de pêssego e ameixa são afetadas pelo mau tempo, produção de uva e trigo ganha força com as baixas temperaturas no estado.

                        Produtores de uva torcem para que o frio se mantenha por mais tempo (Foto: Reprodução/RBS TV)

O frio que toma conta de todo o Rio Grande do Sul desde domingo (16) provoca reações distintas entre produtores pelo estado. Alguns comemoram o mau tempo, e outros torcem para que as baixas temperaturas sejam passageiras.
Produtores de pêssego e ameixa são impactados negativamente pelo frio e pela geada. Segundo a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), os dias quentes de junho e julho fizeram com que as plantas antecipassem a floração e a brotação, que agora foram interrompidas pela entrada desse frio intenso.
Enquanto isso, a semana favorece a produção de uvas. Os produtores comemoram as temperaturas abaixo de 7ºC e torcem para que os termômetros continuem assim por pelo menos 400 horas, o tempo necessário para garantir uma boa safra
.Até agora, de acordo com a Emater, a região da Serra não atingiu 30% do necessário. Esse número já indica perdas na próxima colheita. "Vamos ter menos produtividade, o tamanho das frutas vai ser menor e elas terão menor peso", lamenta o engenheiro agrônomo Ênio Todeschini.
O prejuízo pode ser ainda maior se o tempo esquentar. Caso isso aconteça, as plantas podem sair do estado de dormência e brotar antes do esperado, assim como aconteceu com os pomares de pêssego. Desde a semana passada eles estão coloridos, tomados pelas flores. Por pouco, a geada das últimas noites não causou prejuízo.
"O problema é quando começa a formação do fruto. O fruto pequeno, daí sim, ocorre a perda da produção", diz o engenheiro agrônomo Mauro Tessari.
O frio anima também os produtores de trigo. As baixas temperaturas ajudam no desenvolvimento da planta e as geadas só preocupam se acontecerem no mês de setembro.
                                Geada afeta a produção de algumas culturas (Foto: Reprodução/RBS TV)
Fonte:G1

Nenhum comentário: