Solar

Solar

domingo, 27 de agosto de 2017

Nesse caso a vítima é a sociedade, vitimada por incertezas e refém de um silêncio que insiste em se fazer de vítima


Tenho a esperança que fatos que vem acontecendo em nossa Santiago, venham a ser debatidos e esclarecidos na imprensa como um todo, já está ficando insustentável o silêncio e quem cala consente, parece que nada está acontecendo.

Outro dia conversando com um conhecido, percebi que realmente fica difícil abordar assuntos polêmicos em Santiago, percebi que o boicote é a principal arma daqueles que se acham intocável, mas graças a Deus que tenho minha fé e não nasci de medo, não convivo com medo e o papel principal da imprensa não é bajular interesses de poucos mas sim enfrenta-los e levar ao conhecimento público.

Outro dia fiz um post, abordando o fato de algumas denúncias feitas contra nossos prefeito Tiago, milhares de visualizações, mesmo assim o silêncio.

Claro, quem julga culpado ou inocente é a justiça, até mesmo não é minha intensão julgar alguém culpado aqui, fato é que graves denúncias vem sendo feitas contra nosso prefeito e a Uri, sem contar a queda de braço entre o Ronaldo Schizzi mais o advogado Julio Prates autor das denúncias, no caso Ronaldo sou testemunha que Ronaldo trabalhou sim em sua campanha nas ultimas eleições, por que eu também estava lá.

Hoje vivemos momentos tensos na política brasileira, onde a mais alta cúpula política do país está mergulhada em escândalos, mas eles mesmos que não nos convençam, vem a público dar uma satisfação, até mesmo a imprensa que tem interesses envolvidos se obrigam a se manifestar quanto aos fatos, por aqui parece que ainda não caiu a ficha, insistem em ficar no silêncio. Em três anos vamos ter eleições novamente e podem ter a certeza que nada fica no esquecimento, queremos apenas esclarecimentos uma manifestação, mínima que seja, mesmo que não convença, mas que não nos tratem como ignorantes e medrosos diante de tais fatos, prefiro acreditar que os medrosos são os que se calam de medo de enfrentar as críticas, mas como diz o ditado, quem não deve não teme e mesmo se cometeu algum erro, enfrente-os, fica mais bonito que ignora-los e se fazer de vítima.

Mais uma vez deixo a disposição este espaço para que se manifestem publicamente a sociedade, através de nota ou entrevista, pois enquanto aqui ou em outro veículo de comunicação eu não ver ou ouvir manifestação de ambas as partes para nossas sociedade vou continuar cobrando uma posição, pois na hora de abordar o cidadão e pedir seu voto, na hora de interesses, todos vem a público, mas na hora de dar uma satisfação se escondem, ai o povo começa a ser ignorado e os interesses são priorizados.


Nesse caso a vítima é a sociedade, vitimada por incertezas e refém de um silêncio que insiste em se fazer de vítima, porque a única certeza declarara até o momento é o silêncio, prenuncia de desprezo para com aqueles que um dia confiaram por algum momento ...  

Nenhum comentário: