Solar

Solar

sábado, 23 de março de 2013

Produtos seguem sem queda de preços nos supermercados de Porto Alegre


As grandes redes de supermercados de Porto Alegre ainda não cumpriram determinação da Associação Gaúcha de Supermercados (Agas) de redução de preços de itens da cesta básica, principalmente da carne. Segundo o presidente da entidade, Antônio Cesa Longo, que publicou artigo entitulado “Pela honra de nossos ideais” no Correio do Povo, a orientação da entidade para os associados é muito clara: aplicar a desoneração efetiva e imediata, em suas lojas, aos preços dos itens de cesta básica que fazem parte desta redução, como carnes, óleos, açúcar, manteiga, margarina, café, sabonetes, papel higiênico e higiene oral. Todos esses produtos ainda não estavam desonerados.

A Agas destaca que itens como leite em pó, leite pasteurizado, queijos, ovos, verdura, feijão, frutas, arroz, farinha de milho, farinha de mandioca, massas, farinha de trigo e pão já estavam desonerados pelo governo federal e, portanto, não haverá qualquer redução ao consumidor em função da medida provisória. Conforme Longo, a Agas seguirá pleiteando também a redução dos impostos estaduais incidentes sobre a cesta básica. “A desoneração do governo Federal deverá estimular os governos estaduais a fazerem redução das alíquotas do ICM, provocando uma redução ainda maior nos preços ao consumidor”, ponderou.

Segundo Longo, os supermercados devem estar atentos para cobrar dos seus fornecedores a redução dos preços nos produtos adquiridos a partir de agora. “A redução de preços ao consumidor, que vai variar de 3% a 15% dependendo do produto, não será o único benefício da desoneração. Ela vai ocasionar um aumento direto de 8% no poder de compra das famílias com renda de até dois salários mínimos e vai gerar cerca de 880 mil novos postos de trabalho em todo o País”, avaliou o presidente da Agas.
Fonte: Cláudio Isaías/Correio do Povo

Do Blog:
Agora quem vai defender e como fiscalizar essas reduções de preços nos produtos anunciado pelo governo federal em Santiago, como nossa comunidade vai saber que de fato esta sendo colocada em prática a redução de preços nos produtos da cesta básica, como o cidadão vai fazer valer seus direitos? Acredito que todos os órgãos competentes e população devem ficar de olho e se mobilizar para que essa redução realmente chegue ao consumidor, agora o incentivo é para o povo e não para os banqueiros, montadoras de veículos e fabricante de eletrodomésticos, vêm ai um abacaxi para o governo federal e governos estaduais descascarem, a AGAS já se manifestou no Rio Grande do Sul, só para lembrar, órgão que representa os empresários do ramo de supermercados, mas acredito não ser o suficiente por se tratar de um jogo de interesses muito complexo, não podemos ficar dependente somente da conciência dos fornecedores e supermercados. Tá me parecendo uma medida eleitoral, os petistas já estão arrumando a cama para as próximas eleições à presidência e se não der certo o culpado será os fornecedores e redes de supermercados, mas pelo menos para a grande massa o governo reduziu o custo da cesta básica, sei não...

Nenhum comentário: