Solar

Solar

sexta-feira, 26 de junho de 2015

Ministério Público denuncia fraude na produção de queijos do RS


O Ministério Público (MP) entregou à Justiça nesta sexta-feira (26) a denúncia sobre a Operação Queijo Compensado, deflagrada na semana passada nas cidades de Três de Maio, no Noroeste do Rio Grande do Sul, e Ivoti, no Vale do Sinos. A ação descobriu um esquema de adulteração no produto, com adição de amido de milho para mascarar a colocação de água no leite. Dez pessoas foram denunciadas por crimes como lavagem de dinheiro, falsidade ideológica, corrupção passiva e ativa.
Foram denunciados os proprietários da empresa de processamento Laticínios Progresso Ltda Eduardo André Ribeiro e Volnei Fritsch, além do filho dele Pedro Felipe Fristsch, que era sócio oculto da empresa, e a companheira de Eduardo, Andreia Abeling. Os três sócios estão presos preventivamente.
O MP denunciou também a participação da irmã de Volnei, Roselaine Fritsch, o motorista da empresa Arnildo Roesler, o funcionário Neimar Hosda, Claudio Fuhr, que seria apoiador do esquema, em especial, na distribuição, o ex-secretário da Agricultura e Meio Ambiente de Três de Maio, Valdir Ortiz, e o veterinário da Prefeitura de Três de Maio, Marcelo Paz Carvalho.
Conforme  o MP, o esquema funcionava, pelo menos, desde abril de 2012. As análises do produto apreendido no dia da ação confirmaram a presença de coliformes fecais. O queijo era fabricado de forma irregular com adição de amido de milho e uso de leite rejeitado pelas indústrias por estar vencido ou fora de qualidade.
O produto era revendido também de maneira ilegal para 72 estabelecimentos de 23 municípios do Rio Grande do Sul.

Nenhum comentário: