Mercado e Açougue Melo

Mercado e Açougue Melo

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Ciclo vicioso na educação pública gaúcha: Quem perde mais com tudo isso?


Na tarde desta sexta-feira 18, os professores decidiram durante assembleia geral do Cpers, que entrarão em greve, caso não recebam o 13º salário até o dia 20 de dezembro, também não entregarão as notas dos alunos. A decisão foi tomada numa tentativa de pressionar o governo, quanto a quitação dos vencimentos da categoria.
No dia 08 de dezembro deverá ocorrer outra assembleia para avaliar os rumos dos pacotes de medidas do governo do estado, quanto a contemplar encerramentos de turnos e remanejamentos de professores.
A situação da educação pública no governo gaúcho e a nível federal, é trágica, em nosso estado onde virou cultura todos os finais ou inicios de anos letivo, greve, quem realmente perde são alunos e os pais, os alunos por que cada ano devido as paralizações perdem o foco do aprendizado, além de terem que recuperarem dias perdidos, com conteúdo abreviados e acelerados, quanto aos pais que dão duro o ano inteiro massacrados e atormentados, por crises políticas, tributárias, enfim tantas mazelas do dia-dia do mundo moderno, não conseguem mais fazer um planejamento familiar, para as tão sonhadas férias.
Tornamos reféns de um sistema vicioso na educação gaúcha, onde todos os lados são desrespeitados, mas somente um deles por direito e de fato, sedo ou tarde sai recompensado pelos descasos sofrido do governo estadual, os professores, que no final acaba recebendo suas reivindicações ou parte delas. Agora alunos da educação pública e pais recuperam o quê? Na verdade pais e alunos são somente usados, nessa novela que se estende a anos, claro que o direito de protestar é válido, todos tem que lutar pelos seus direitos. Protestos contra os governos são feitos nos finais de semana para chamar atenção da opinião pública, ganham força e derrubam presidentes, será que na educação não seria um caminho, onde até mesmo os pais de alunos que estariam de folga de suas atividades não dariam mais força a estes movimentos, acredito que sim, está mais que na hora de pais e alunos também reivindicarem seus direitos e o respeito, do governo gaúcho e do Cpers, afinal pais e alunos são o que de fato perdem com tudo isso, e os que de fato também pagam essa conta , em todos os aspectos..

Nenhum comentário: