Mercado Melo

Mercado Melo

domingo, 15 de janeiro de 2017

Falta de materiais prejudica Cardiologia do HUSM

Equipamentos estragados impossibilitam a realização de exames de diagnóstico por imagem na instituição
Aparelho responsável pelo Ecocardiograma Transesofágico está estragado desde o início do ano. Não há previsão para conserto. Foto Maiquel Rosaur

Pacientes do setor de Cardiologia do Hospital Universitário de Santa Maria (HUSM) que necessitam do diagnóstico por imagem enfrentam problemas para realizar alguns exames na instituição. Pelo menos três equipamentos estão estragados, fazendo com que os pacientes sejam transferidos para outros setores da UFSM ou para a rede privada através de tomada de preço.
É o caso do Ecocardiograma Transesofágico, cujo aparelho está inutilizado desde o dia 5 de janeiro. O exame consiste numa ecografia do coração através das paredes do esôfago e estômago.
Conforme o físico médico e chefe da Unidade de Diagnóstico por Imagem, Guilherme Lopes Weis, o equipamento já havia apresentado problemas, foi consertado e estragou de novo.
“Estamos pressionando a Philips para que eles venham resolver o problema, pois exigimos garantia do conserto anterior”, destaca.
Com o mesmo equipamento é possível fazer o Ecocardiograma Transtorácico, técnica não invasiva baseada na utilização de ultra-sons para o estudo da anatomia do coração. Há na instituição um aparelho semelhante que faz o exame, porém com qualidade de imagem inferior.
Outro exame que está indisponível é a Cintilografia do Miocárdio (tem por objetivo verificar se há risco de infarto no paciente) que está sem radioisótopo há duas semanas. A direção do HUSM afirma que o recurso orçamentário para resolver a situação foi liberado na quinta-feira, mas uma rubrica que veio trocada de Brasília atrasou o repasse. A previsão é de que o problema seja solucionado na próxima semana.
Os pacientes também deixaram de realizar no HUSM o exame de Ergonometria, que visa complementar o diagnóstico cardiológico feito com o paciente em uma esteira ergométrica. O equipamento está estragado desde o dia 23 de setembro. Enquanto um novo aparelho não é adquirido, a solução é usar o equipamento localizado no Centro de Educação Física e Desporto da UFSM.

Situação desagrada profissionais da saúde

O problema nos aparelhos de cardiologia tem provocado indignação em diversos profissionais do HUSM. Conforme Weis, há um projeto de revitalização de toda a Cardiologia da instituição.
“Temos um processo para aquisição de dois equipamentos fixos de ecorcardiografia e dois portáteis. Com eles, conseguiríamos fechar todo o circuito de exames na Cardiologia”, ressalta Weis.
Ainda não há previsão de quando os equipamentos devem ser adquiridos. Não há previsão de quando o equipamento de Ecocardiograma Transtorácico seja consertado.
Segundo cardiopediatra Mateus da Silva Lima, a renovação dos equipamentos precisa ser urgente.

“O pré-natal e a UTI neonatal estão desassistidas, pois não há como fazer na instituição o Ecocardiograma Fetal”, explica Lima.
A crise econômica e a grande demanda de pacientes para o HUSM são apontados pelo chefe da Divisão Médica da instituição, Larry Argenta, como os principais motivos para a falta de materiais na Cardiologia. Segundo ele, mesmo com os problemas, os pacientes não irão ficar sem realizar os exames.
“Nenhum paciente vai deixar de ser tratado”, garante.
Argenta não soube informar quantos exames estão deixando de ser realizados na Cardiologia no HUSM. Porém, ele explicou que a instituição está ampliando, via gerência administrativa, os trâmites para que os pacientes com casos mais graves realizem os exames na rede privada através de tomada de preço.
“O que existe no momento é uma crise econômica muito grande no país. A EBSERH (administradora do HUSM) tem ajudado no sentido de diminuir os problemas aqui dentro, mas ela não consegue evitar todos”, relata Argenta.
O chefe da divisão médica explica que a rede de saúde do Estado está com dificuldade, já que pacientes de municípios cada vez mais distantes, como, por exemplo, Santa Rosa, são encaminhados para o HUSM. O fechamento de hospitais privados que realizam atendimento via SUS também colabora para sobrecarregar o HUSM.

A situação dos aparelhos 
Ergonometria
Situação: Dois aparelhos estragados. 
O que diz o HUSM: O processo de compra de um aparelho novo está em andamento. Desde setembro, os exames são realizados no Centro de Educação Física da UFSM.
Cintilografia do Miocárdio
Situação: Aparelho está sem radioisótopo há duas semanas.
O que diz o HUSM: O recurso orçamentário para resolver o problema deve ser repassado na próxima semana.
Ecocardiogramas Transesofágico e Transtorácico
Situação: Aparelho estragou no início deste ano.
O que diz o HUSM: Há um projeto para a compra de dois novos aparelhos, mas ainda sem previsão para a abertura de licitação. Os pacientes em estado grave que necessitam do exame são transferidos para a rede privada através de tomada de preço.
Fonte: A Razão

Nenhum comentário: