Solar

Solar

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

JHONATA ALMEIDA: " Pensando Alto"


Buenas!

No “Pensando Alto” de hoje, um assunto absolutamente desconhecido para muitas pessoas, mas que tem milhões de adeptos pelo mundo todo: o jogo de RPG.
Conheço, leio, crio e jogo RPG há pelo menos 23 anos, e isso (inacreditavelmente) ainda toma boa parte de meu tempo e de minha atenção. RPG é uma sigla em inglês que significa “ROLE PLAYING GAME”, que podemos traduzir como “Jogo de Interpretação de Papeis”. Não é possível explicar exatamente o que ele significa ou seus (inúmeros) sistemas de regras no espaço de uma coluna, mas vamos tentar resumir: o RPG deve ser jogado em grupos, de pelo menos quatro pessoas, onde uma delas é o “mestre”: o mestre inventa um cenário (imaginário), cria situações que poderão/deverão acontecer (imaginárias) e elabora recompensas (imaginárias) para os jogadores caso eles tenham sucesso na aventura (imaginária); por sua vez, cada jogador cria um personagem (imaginário) para se aventurar no caminho (imaginário) criado pelo mestre. Agora, você deve estar se perguntando: “Se é tudo imaginário, como eu jogo?” – E a resposta é: Imaginando!
O RPG é jogado em uma mesa comum, e os únicos objetos necessários são alguns lápis, borrachas, os livros das regras, vários dados (sendo que são usados os dados comuns de seis faces e também os dados especiais de quatro, oito, dez, doze e vinte faces) e obviamente, muuuuuuuita imaginação! Tudo que é criado (tanto pelo mestre quanto pelos jogadores) é anotado em fichas, e o jogo se desenvolve descrevendo as cenas e situações, lançando os dados e interpretando (com a fala) os personagens e os acontecimentos.
Algumas vezes o jogo de RPG foi associado lamentavelmente a coisas que não têm nada a ver com sua natureza: aspectos religiosos, magia real, seitas, rituais e coisas do gênero. Por favor, isso é tudo bobagem! Eu conheci RPG ainda criança e até hoje tenho esperança de montar um grupo de amigos dispostos a jogar, e lhes garanto que isso é tudo balela; o problema é que as sessões de jogo duram horas a fio, eu mesmo mestrava capítulos que duravam de 6 a 12 horas reais, e quem está de fora escuta os jogadores usarem termos estranhos e vê figuras de monstros nos livros, o que infelizmente facilita essa visão errada do jogo. Porém, existe muito material na internet que pode desmentir essas ridículas associações e ajudar a explicar o que realmente é esse fantástico jogo.
O RPG normalmente usa conjuntos de regras pré-definidas em grandes sistemas, que variam muito entre si ainda que não abandonem essa explicação que dei; os mais famosos são “Dungeons e Dragons”, com suas várias edições e versões (o popular D&D ou ainda AD&D), o GURPS (meu preferido, que significa GENERIC UNIVERSAL ROLE PLAYING SYSTEM, que podemos traduzir como “Sistema Universal e Genérico de Interpretação de Papeis”), ou outros exemplos como 3D&T, Vampiro, Tagmar, Storyteller e muitos outros.
Pessoal, estou procurando gente pra montar um grupo de RPG! Quem se habilita? Boraaaaa!
Cabeludo
Jhou Batera //

Jhonata Almeida

Nenhum comentário: