Mercado Melo

Mercado Melo

quinta-feira, 30 de março de 2017

Jhonata Almeida: "Pensando Alto"

Buenas!

No “Pensando Alto” de hoje, mais uma vez um assunto que ocupa boa parte do meu tempo: o Futebol. Porém, desta vez o texto dá ênfase à Seleção Brasileira, ao atual retrospecto, ao Tite e ao nosso craque Neymar.

Caramba, o que foi aquele jogo contra o Paraguai? Há muito tempo eu não via um espetáculo daqueles! Assisti à partida sozinho, na sala de casa, e por três ou quatro vezes eu sorria espontaneamente vendo nossa equipe jogar, com um misto de felicidade e nostalgia...

Sempre digo, e ainda continuo afirmando, que o cara que mais jogou bola, pra mim, foi o Romário: implacável, preciso, cerebral... Era um finalizador nato. Se dominasse a menos de trinta metros do gol, podíamos começar a comemorar; depois, Ronaldo: uma explosão jamais vista, dribles objetivos, potência nos chutes, imposição física e velocidade... Um pouco depois, Ronaldinho Gaúcho: técnica, versatilidade, dribles improváveis, qualidade no passe e no arremate... E esses três nos deram Copas do Mundo! E... pra mim, depois deles, “o cara” que surgiu foi Neymar: digam o que quiserem, a realidade é inquestionável e diariamente verificável. Neymar é gênio, reúne características que fazem dele um dos jogadores mais diferenciados do mundo hoje, e lentamente ele está entrando para a história, se é que já não entrou: foi com ele que ganhamos nossa primeira Olimpíada. Artilheiro no Barcelona com uma média de gols fantástica, já é um dos maiores goleadores da Seleção Brasileira também. Falando em Seleção... Obrigado, Tite. Obrigado por fazer com que o talento de Neymar seja algo a somar, não a salvar. O técnico gaúcho já bateu recordes à frente da equipe: o número de vitórias consecutivas superou todos os registros anteriores no quesito “primeiros jogos”, e se encaminha para bater o recorde geral. Obediência tática, Futebol objetivo, valorização técnica e motivação: a receita que Tite deu para que o Brasil voltasse a ser visto como O MELHOR FUTEBOL DO MUNDO. Mas...O que foi aquele jogo contra o Paraguai? Hehehehehe...

No primeiro gol, Phillipe Coutinho arranca em jogada individual da direita, tabela com Paulinho (que devolveu de calcanhar) e finaliza sem chances de defesa para o goleiro paraguaio: um gol que alia tática, grupo e técnica elevadíssima. Depois, em grande jogada individual, Neymar parte em direção à área em extrema velocidade e é parado com pênalti: bate e perde. Tristeza? Descrença? Não! Basta ver o que ele fez no segundo gol... Novamente parte rumo à meta paraguaia com uma condução de bola incrível, faz fila e empurra pro gol; foi nítida a expressão de desabafo na comemoração, como se dissesse: “-Olha aí! Eu fiz de novo, e agora matei eles!” – Na sequência, ainda faz um gol em condição ilegal com extrema calma, ao que o juiz anula o lance e frustra o atacante... Entretanto, ainda houve o terceiro gol: outra jogada coletiva, com passes precisos e mais uma assistência refinada de Paulinho (que fizera três contra o Uruguai...E não é preciso comentar a pintura de Neymar contra os uruguaios, hehehe), que resultou num belíssimo gol de Marcelo... Tenho me sentido extremamente feliz ao ver a Seleção Brasileira jogar... Voltamos a mandar no Futebol! VEM HEXAAAAAAAA!
Cabeludo
Jhou Batera //

Jhonata Almeida

Nenhum comentário: